top of page

Canal Brasil homenageia Rita Lee com programação especial

Ícone do rock nacional morreu nesta segunda (8)



Nesta segunda (8), morreu nesta segunda-feira (8), aos 75 anos, a cantora Rita Lee. Em 2021 ela foi diagnosticada com câncer de pulmão, e vinha fazendo tratamentos contra a doença. A família da cantora divulgou um comunicado nas redes sociais:


"Comunicamos o falecimento de Rita Lee, em sua residência, em São Paulo, capital, no final da noite de ontem, cercada de todo o amor de sua família, como sempre desejou". O velório será aberto ao público, no Planetário do Parque Ibirapuera, na quarta-feira (10), das 10h às 17h.

 

CONTINUE APÓS A PUBLICIDADE

 

HOMENAGEM:


Em homenagem à cantora, o Canal Brasil exibe uma programação especial que reverencia um pouco da trajetória da artista. A partir das 22h, o público poderá conferir o curta "Os Mutantes", que conta a trajetória do grupo, dirigido por Antônio Carlos da Fontoura, na faixa Curta na Tela, seguido da exibição do longa "Dias Melhores Virão", de Cacá Diegues e estrelado por Rita.


Na quarta, dia 10, será exibido o episódio especial do programa "O Som do Vinil", sobre o disco “Fruto Proibido”, segundo disco de Rita Lee com a banda Tutti Frutti, lançado em 1975, às 22h, e às 22h25, o filme "Durval Discos", dirigido por Anna Muylaert, no qual Rita faz uma participação especial. No sábado, dia 13, às 15h30, vai ao ar o "Cinejornal" especial Rita Lee, com a reexibição de uma entrevista com a cantora de 2001.


Conhecida por sucessos atemporais como “Ovelha Negra”, “Mania de Você”, “Erva Venenosa”, "Doce Vampiro" e “Agora Só Falta Você”, a artista (1947-2023) é considerada uma das maiores referências do rock no Brasil. Com quase 60 anos de carreira musical, a trajetória de Rita Lee começou na formação da banda mais importante da cena do rock brasileiro, "Os Mutantes", grupo formado por ela e os irmãos Arnaldo Baptista e Sérgio Dias. Na banda, participou de seis álbuns e, após firmar sua carreira solo, gravou mais 34 discos.


 

CONTINUE APÓS A PUBLICIDADE

 

A artista gostaria de ser conhecida como “padroeira da liberdade”, tendo lutado sempre pela força feminina, através de suas canções e ações enquanto figura pública