top of page

FALE COMIGO: O que você faria se achasse uma mão embalsamada? Confira a critica de Gustavo Cardim

O terror mais aguardado do ano estreia em 17 de agosto nos cinemas de todo o Brasil



“TALK TO ME” (FALE COMIGO) é o longa de estreia dos irmãos Philippou e já começa com uma cena mais que surpreendente que vai te deixar tão em choque que você fica intrigado por todo decorrer da trama. E por mais a premissa de “Fale Comigo” não seja lá tão inovadora, já que a história gira em torno de um conceito estereotipado e bem conhecido como a possessão humana por espíritos sobrenaturais, isso não deixa de ser feito por uma perspectiva diferente, com jovens se aventurando ali como se a possessão fosse um tipo de "droga da adrenalina" no momento em que estão possuídos. Pode entrar!

 

CONTINUE APÓS A PUBLICIDADE

 


Posso afirmar que sem dúvida assisti a um dos filmes mais assustadores que vi nos últimos anos, a reação das pessoas no cinema, inclusive a minha em resposta a algumas cenas pra lá de pesadas e assustadoras, foram completamente genuínas, o medo e o horror realmente tomou conta da sala de cinema durante todo o filme. Vale ressaltar o incrível trabalho de maquiagem do longa, que não vai me surpreender nada se concorrer e até levar alguns prêmios.


Foram Inúmeros momentos de violência de influência sobrenatural, cabeças batendo em paredes e móveis, ossos quebrando, pessoas mordendo a si mesmas e coisas bizarras do tipo que nos induzem aquela sensação de repulsa grotesca justamente pelo realismo de todos os componentes técnicos. Fora a cena dos olhos se transformando em uma cor preta aterrorizante, os efeitos especiais são raros ou inexistentes neste filme e é isso que o torna tão real.


 

CONTINUE APÓS A PUBLICIDADE

 

Devo ressaltar que o FALE COMIGO está longe de ser fácil de assistir para o público mais sensível à violência. A brutalidade é extremamente explícita e as vezes imprevisível, fator crucial para situações de puro choque visual. A maioria dessas cenas é longa, com vários momentos impactantes, em vez de um único clímax, o que torna as cenas ainda mais agonizantes e sinistras.